Economia da Informação

Mobile patent lawsuits

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 28 de agosto de 2011

Um interessante artigo de Flowing Data.

 

 

 

Anúncios

Google: monopólio? e daí?

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 24 de julho de 2011

Apple é condenada a pagar US$ 8 milhões por quebra de patente

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 16 de julho de 2011

Google contrata especialistas em patentes

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 16 de julho de 2011

Monopoly Wars (X) – Microsoft x Google

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 2 de abril de 2011

A escalada dos novos monopólios

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 14 de novembro de 2010

Este texto do The Wall Street Journal apresenta de forma muito didática como se dá o estabelecimento das novas formas de monopólio na internet, e porque a dependência dos serviços dos monopolistas (leia-se Google Inc., Facebook, e afins) é um perigo em potencial.

Este artigo é um aviso bem elucidativo para quem desconhece, ou mesmo negligencia a economia da informação, pois, através da utilização dos exemplos do artigo pode-se ter a dimensão do impacto de um monopólio informacional na vida das pessoas.

Sobre o monopólio na economia da informação o texto afirma que:

“Market power is rarely seized so much as it is surrendered up, and that surrender is born less of a deliberate decision than of going with the flow […]”

Sobre o engodo inicial e o desenvolvimento essa parte responde:

“We wouldn’t fret over monopoly so much if it came with a term limit. If Facebook’s rule over social networking were somehow restricted to, say, 10 years—or better, ended the moment the firm lost its technical superiority—the very idea of monopoly might seem almost wholesome. The problem is that dominant firms are like congressional incumbents and African dictators: They rarely give up even when they are clearly past their prime. Facing decline, they do everything possible to stay in power. And that’s when the rest of us suffer[…]”

E sobre a conveniência do discurso que essas corporações inovam o texto não deixa passar:

“Info-monopolies tend to be good-to-great in the short term and bad-to-terrible in the long term. For a time, firms deliver great conveniences, powerful efficiencies and dazzling innovations. That’s why a young monopoly is often linked to a medium’s golden age. Today, a single search engine has made virtually everyone’s life simpler and easier, just as a single phone network did 100 years ago […]”

E finalmente quem paga conta para que os monopolistas tenham o seu império:

“The costs of the monopoly are mostly borne by entrepreneurs and innovators. Over the long run, the consequences afflict the public in more subtle ways, as what were once highly dynamic parts of the economy begin to stagnate[…]

In the Grip of the New Monopolists

Monopoly Wars (XI) – Microsoft x Apple

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 30 de outubro de 2010

De Olhar Digital

Microsoft x Apple: quem ganha esta batalha?

Site reuniu diversos relatórios feitos por empresa de tendências do uso da internet e fez algumas previsões sobre o mundo tecnológico do futuro

Segunda-feira, 25 de outubro de 2010 às 15h50

Quando se trata de Microsoft e Apple, a batalha é acirrada para determinar quem está ganhando no mundo tecnológico. No uso de computadores, por exemplo, a Microsoft está à frente. No entanto, a Apple passou a construir um negócio lucrativo após o outro. Mas e quanto ao uso de internet vindo de aparelhos das duas companhias?

O site ZDNet analisou diversos relatórios feitos pela Net Market Share, uma empresa que fornece dados sobre tendências de uso da internet, sobre desktops e plataformas móveis durante o período de novembro de 2007 e outubro de 2010. Confira abaixo as tendências analisadas pelo site de tecnologia.

Windows XP continua em declínio constante. Em 2008 mais de um ano após o lançamento do Windows Vista, os usuários continuavam utilizando o XP. Menos de 10% substituíram a plataforma e cerca de 5% de todos os PCs Windows estavam utilizando versões anteriores ao XP. No entanto, a história mudou quando o Seven foi lançado. Nesse período, o número de usuários utilizando XP caiu mais de 20% em dois anos e continua caindo, da mesma forma que usuários de versões anteriores ao XP.

Apesar disso, não há evidências de que haverá um abandono significativo da plataforma Windows no mercado. A fatia de mercado de PCs com Windows caiu nos últimos dois anos e meio de 95.4% para 91.1%. Apesar disso, a queda não está relacionada somente ao Windows, mas sim a todos os sistemas operacionais. O uso do Linux, por exemplo, caiu de 1.08% para 0.85%. já o OS X manteve: de 5.26% para 5%.

A Apple apostou em campanha publicitária de maneira agressiva para o OS X. Enquanto a Microsoft estava sofrendo com o Windows Vista e sua pequena faixa de adesão no mercado de plataformas, a Apple apostou em campanha publicitária para o OS X. O resultado foi um crescimento para mais de 5% no ano passado, apesar de ter estagnado a partir deste momento (o que poderia explicar a campanha da Apple “Volte para o Mac” lançada há alguns dias). Porém, a cota global da Apple na internet continua a subir graças aos dispositivos móveis da empresa, como é o caso do iPhone e iPad.

A internet móvel está crescendo em um ritmo absurdo. Em 2007, o tráfego da internet vindo de dispositivos móveis foi quase inexistente (0.09%). Hoje, aparelhos móveis correspondem a cerca de 3% do tráfego global de internet, seguindo um crescimento de duas vezes a cada oito meses. Nesse quadro, o tráfego da internet vindo da comunidade mobile chegará a mais de 20% nos próximos dois ou três anos.

A Apple ganha da Microsoft quando o assunto é dispositivos baseados no iOS. No quesito dispositivos móveis, a Apple lidera a categoria com 42% de todo o tráfego da internet, seguido por uma plataforma Java, a Java Micro Edition (ME), que possui 37% do mercado – provavelmente sendo executada principalmente em aparelhos Nokia. Em terceiro lugar está o Symbian (11%) e em quarto o Android (8%).

O mercado de dispositivos móveis que assume tarefas que antes eram feitas por computadores está crescendo e, como exemplo disso, a própria Microsoft lançou o Windows Phone 7 em uma tentativa de abraçar este mercado de maneira satisfatória – e superar a Apple neste mercado.

Tagged with: , ,

A batalha das patentes II

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 23 de outubro de 2010

Nessa reportagem da The Economist é abordado o tema das constantes batalhas judiciais que ocorrem em  todo mundo na área de telecomunicações, em especial pela a quebra de patentes.

O EI já abordou em um post esse tema e inclusive tem a seção Monopoly Wars que falam dessa verdadeira guerra de patentes, onde as empresas não brigam para conquistar novos clientes ou melhoria de seus serviços, mas sim brigam para alcançar a condição monopolista de estabelecer o seu padrão único de base instalada.

Batalhas das Patentes

Microsoft pode comprar Adobe, diz jornal

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 9 de outubro de 2010

Direto de TI INSIDE

O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, e o CEO da Adobe, Shantanu Narayen, realizaram uma reunião fechada nesta semana para discutir diversa questões estratégicas envolvendo as duas companhias. E um dos principais assuntos abordados durante o encontro foi sobre como as empresas poderiam se juntar e ganhar força para rivalizar com Apple, especialmente no mercado de mobilidade. Entre as opções cogitadas pelas empresas está a aquisição da Adobe pela Microsoft, segundo informações do New York Times.

O jornal americano cita uma pessoa próxima ao assunto que disse que as duas empresas já haviam conversado sobre o bloqueio que o CEO da Apple, Steven Jobs, fez ao software Adobe Flash para seus dispositivos portáteis, e avaliado que uma parceria entre as empresas poderia dar musculatura a elas para combater a Apple, que continua a crescer de forma acelerada no mercado de mobilidade

Outra pessoa próxima das negociações explicou que a Microsoft havia cortejado Adobe há vários anos. Mas o acordo nunca passou de conversas informais e um dos motivos era o temor da Microsoft de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) impedisse o negócio alegando infração às leis antitruste.

Monopoly Wars (IX) – Google x Apple

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 25 de setembro de 2010