Economia da Informação

Estímulos no Open Source

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 13 de novembro de 2010

A Computer World explica as vantagens do uso do Open Source, seja através do viés da fuga da base instalada, seja pelo estímulo financeiro.

Motivações Open Source

 

Anúncios

Monopoly Wars (XII) – Oracle x Apache

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 13 de novembro de 2010

Essas matérias da Computer World (aquiaqui) mostram os perigos da base instalada e do conceito de Freemium.

Explicando bem resumidamente: Uma empresa oferece um padrão de tecnologia estável, aberto e o melhor: Grátis! Só que por causa de pormenores administrativos e técnicos a empresa que desenvolveu esse padrão é obrigada a passar o controle acionário/tecnológico.

Aí que entra o que Varian e Shapiro denominam como Base Instalada na Economia da Informação.

Isso é como se uma corporação ofertasse seus serviços gratuitamente, e com isso condicionasse os mais sensíveis ao preço o uso exclusivo de seus serviços.

Até que um dia, essa empresa resolve cobrar, e deixar todas as pessoas que usam o seu produto reféns de seus preços.

Ou pior; cobrar quem desenvolve na sua plataforma ou fechar a mesma tecnologia.

Esse é o embate que se desenvolve, tendo em vista que a Apache desenvolve sob o mantra do Open Source Java.

Oracle x Apache 1

Oracle x Apache 2

Tagged with: , ,

Monopoly Wars (XIII) – Oracle/Java x Google

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 16 de agosto de 2010

IDG NOW!

Os riscos da estratégia de ‘terra arrasada’ da Oracle para lucrar com Java

Ao processar a Google, empresa afirma posição de única dona das patentes Java, mas joga um balde de gelo sobre os desenvolvedores open source.

O processo da Oracle contra a Google acerca do Java presente no sistema operacional Android revela um plano agressivo para extrair lucros da plataforma Java, tida por Larry Ellison como “o ativo de software mais importante que já adquirimos”.

Mas, ao apelar para os tribunais e escolher uma batalha sobre patentes e copyright, a Oracle corre o risco de jogar um balde de água gelada no ecossistema Java e em grandes projetos de código aberto mantidos pelo setor de TI.

A queixa inicial apresentada pela Oracle à Justiça é curta e simples. A Oracle afirma que o Android viola copyrights e patentes que passaram às suas mãos com a compra da Sun.

Na sexta-feira (13/8), a Google afirmou que irá responder com briga ao processo, que considera um ataque não apenas à empresas mas a toda a comunidade Java de código aberto.

A queixa sobre copyright parece difícil de permanecer em pé. Há anos o código-base Java é oferecido como open source, e a máquina virtual Davlik, da Google, é uma implantação, do zero, das tecnologias Java.

Susto
Mas só o fato de a Oracle pensar que pode abrir processos sobre propriedade de código aberto basta para assustar os desenvolvedores que trabalham com código aberto, mas não têm acesso aos mesmos recursos legais da Google. E talvez traga até lembranças dos velhos tempos da disputa entre IBM e SCO.

A disputa sobre patentes, no entanto, é outra história. Todas as patentes citadas parecem descrever, em termos gerais, funcionalidades que são o coração da tecnologia Java. O patenteamento de “métodos” abrangentes é fonte de perigo e incerteza para toda a indústria de software.