Economia da Informação

IBM acusada de prática anticompetitiva

Posted in Sem categoria by Flávio Clésio on 27 de julho de 2010

Direto de Época Online e TIINSIDE

Comissão Europeia investiga atuação da IBM no mercado de mainframes

A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, anunciou nesta segunda-feira, 26, que iniciará uma investigação formal para verificar possível prática anticompetitiva da IBM no mercado de computadores de grande porte (mainframe).

A empresa é acusada de impedir que seus sistemas operacionais funcionem em outros hardware e de bloquear a atividade de prestadoras de serviços de manutenção terceirizados. Com isso, a Comissão Europeia entende que a IBM abusa da sua posição dominante no mercado.

O primeiro processo de investigação se baseia nas acusações da desenvolvedora de mainframes T3 Technologies e da fabricante de sistema operacional para mainframes TurboHercules, que desenvolve software baseado na tecnologia de código aberto Hercules, da própria IBM (veja mais informações em “links relacionados” abaixo). Elas alegam que a Big Blue se nega a liberar o código do Hercules para que ele rode em outros mainframes. Esse fato, na visão da Comissão Europeia, impede a participação de outras empresas no mercado europeu de mainframes e a inovação no setor.

O segundo processo, que trata de um possível bloqueio de prestadoras de serviços de manutenção terceirizados, vem de apuração do próprio órgão regulador europeu. A Comissão alega ter evidências de que a IBM, única fornecedora de equipamentos para seus próprios mainframes, atrasa ou se nega a fornecer peças de reposição de seus computadores para empresas terceirizadas, impedindo o surgimento e a atuação de companhias no setor e atrapalhando a competição no mercado europeu de tecnologia.

A Comissão Eropeia, no entanto, pondera que o início das investigações não significa que há provas das infrações, apenas que o assunto será tratado com máxima prioridade. Ao Wall Street Journal, a IBM declarou que vai cooperar com as apurações, mas chamou as acusações da T3 e TurboTechnologies de “completamente sem mérito” e “impulsionadas por grandes competidores, principalmente a Microsoft”.

IBM será investigada pela Comissão Europeia por abuso de posição dominante

Comissão Europeia recebeu queixas de distribuidores de programas de informática que acusam a empresa de unir material para servidores centrais a seu sistema de exploração de servidores

Bruxelas, 26 jul (EFE) – A Comissão Europeia (CE) abriu hoje duas investigações formais sobre o grupo de informática americano IBM, ao suspeitar que a companhia poderia ter infringido a legislação comunitária sobre concorrência em dois casos diferentes.

As duas práticas comerciais que poderiam indicar por parte da IBM um abuso da posição dominante, ou seja, do controle de pelo menos 20% de mercado, afetam os negócios dos servidores centrais, explicou o Executivo comunitário em comunicado.

A Comissão decidiu a abertura da primeira investigação formal por conta das queixas apresentadas por distribuidores de programas de informática, que afirmam que a IBM “une o material para servidores centrais a seu próprio sistema de exploração de ditos servidores”, segundo a CE.

A segunda investigação é iniciativa própria do organismo, e tem relação com “o suposto comportamento discriminatório da IBM com relação a seus concorrentes que oferecem serviços de manutenção para servidores centrais”.

Os dispositivos são computadores de grande potência empregados por várias empresas e instituições públicas de todo o mundo, destaca a CE, que estima que “a grande maioria dos dados empresariais mundiais é abrigada em servidores centrais”.

No mundo todo em 2009, foram destinados aproximadamente 8,5 bilhões de euros para a compra de novos materiais e sistemas de exploração relacionados com os servidores centrais, dos quais 3 bilhões foram gastos no mercado europeu, segundo dados da Comissão.

A primeira das supostas práticas ilegais de IBM teria como consequência a exclusão do mercado dos provedores de tecnologias de emulação, que permitem aos usuários executar aplicações essenciais em equipes de marcas diferentes à companhia americana.

Em segundo lugar, a CE suspeita que a empresa dos Estados Unidos colocou em prática ações comerciais “visando blindar o mercado dos serviços de manutenção, evitando concorrentes potenciais no mercado, e em particular restringindo ou retardando o acesso às peças de substituição das quais a IBM é a única fornecedora”.

No entanto, a decisão de hoje não significa que a Comissão disponha de provas das infrações, mas efetuará, segundo a própria entidade, “profundas investigações sobre o assunto”. EFE

%d blogueiros gostam disto: